Sergio Bernardes

RIO DO FUTURO

Projeto publicado em 1965 em número especial da Revista Manchete – na época, revista de maior circulação no pais –  trouxe propostas de Sergio Bernardes para o planejamento urbano do Rio de Janeiro. O projeto abordava temas como: política, geopolítica, economia, educação, turismo, ciência e tecnologia em questões relativas ao transporte, habitação, integração urbana, equipamentos culturais e esportivos. “Este plano é uma síntese sucessiva de etapas futuras, partindo de uma análise de hoje”. Nas palavras de Bernardes, “é tarefa do arquiteto traduzir, no espaço e no tempo, o equilíbrio buscado, sem o qual a evolução é massacre de indivíduos, esmagamento da humanidade, degradação e destruição da natureza pelo sacrifício do universal aos interesses particulares.

O plano do Rio é uma proposta que parte da analise dos problemas existentes. Desde o transporte coletivo até a estrutura socioeconômica em desenvolvimento, e apela para técnicas de construção já comprovadas desde a década de 1960. Sergio Bernardes dizia que a prospectiva visava reduzir ao mínimo os erros do futuro, estabelecendo ao máximo a consciência da margem do imprevisível,… e completava: “utopia seria pensar que tal plano será realizado amanhã ou daqui a um século. Realismo é saber que pode ser feito.”

A proposta estabelece, assim, critérios de prioridades na execução de partes de um projeto urbanístico global com orientação do espaço da cidade através de: células comunitárias orgânicas; crescimento vertical por bairros verticais; aproveitamento das vias férreas atuais – high lines; ponte turística ligando Barra da Tijuca a Niterói e via turística através das montanhas do Rio.

Data do projeto:
1960

Equipe:
Sergio Bernardes

?>