Sergio Bernardes

Schering

Em 1974, Sergio Bernardes foi convidado para projetar a maior fábrica da Shering (indústria química e farmacêutica) . Quatro blocos principais foram dispostos ao redor de um grande lago quadrado (50×50 m), que se destinava a coletar águas pluviais da cobertura, funcionar como reserva contra incêndio, sistema de água gelada do ar condicionado e rega dos jardins. “Sergio imaginou que o ideal seria se todo esse conjunto ficasse protegido por um elemento (a grande cobertura em treliça espacial ) que, a um só tempo, organizaria os espaços permitindo suas ampliações e manteria a indispensável unidade arquitetônica ao projeto”, (Murillo Bobaid, arquiteto e colaborador de Sergio Bernardes no escritório SBA).

 

“Sergio Bernardes projetou então uma grande cobertura, com quase 47000 m², que acolhe e coordena as quatro unidades de funções conexas que compõe a fábrica: administração, restaurante e vestiários, centro de utilidades e prédio farmacêutico. Cada uma dessas unidades permanece independente, tanto formal quanto estruturalmente, da cobertura, e constitui um volume prismático que não chega a denunciar sua função.” NOBRE, Ana Luisa In: BERNARDES, Kykah e CAVALCANTI, Lauro (org.), Sergio Bernardes. Rio de Janeiro: ARTEVIVA, 2010, p. 131.

 

Dados do projeto:

Apoios entre pilares: 40,00 x 50,00 m.

Altura dos pilares: 9,00 m     concreto armado

Altura da treliça: 3,00 m    treliça tri-dimensional tubular de alumínio

Balanço do beiral: 10,00 m

Cobertura: telha trapezoidal de alumínio fixada na treliça.

Todo o conjunto está a 5,00 m acima das construções para permitir ventilação cruzada.

Local:
Jacarepaguá, Rio de Janeiro

Data do projeto:
1974

?>